The University and the with a comprehensive education

A Conferência Mundial de Educação (UNESCO- Paris 1998) definiu em sua Declaração Mundial sobre Educação Superior no Século XXI que as Instituições de Ensino Superior (IES) devem trabalhar para que seus estudantes se tornem cidadãos
bem informados, providos de sentido crítico e capazes de analisar os problemas da sociedade, em busca de soluções, assumindo responsabilidade social.
Outros documentos produzidos, sobretudo a partir das três últimas décadas do século XX colocam à Universidade o desafio de formar profissionais competentes do ponto vista técnico, mas também com compromisso ético e político para a construção de uma sociedade mais justa e equânime.
A Universidade vem sendo chamada a se reorganizar e ressignificar, criando e difundindo seus valores de forma a promover a melhoria da condição humana em suas múltiplas dimensões.
Tais demandas apontam para a necessidade de revisão de métodos, práticas, objetivos, currículos. Mais do que isso, implicam na promoção de discussões constantes acerca dos objetivos educacionais da universidade, visando
a transformação do conhecimento e o desenvolvimento humano.
Emerge, então, a preocupação com o estudante universitário e a promoção de condições para o seu desenvolvimento integral, para atingir seu nível de excelência pessoal e preparo para exercer um papel atuante na sociedade.
Inúmeros estudos têm sido produzidos para aprofundar o conhecimento sobre temas diversos envolvendo o cotidiano universitário, tais como sucesso e insucesso acadêmico, fatores de estresse na formação acadêmica, saúde mental do estudante, formação de atitudes e competências especificas, entre outros.
É importante compreender que o aprendizado do aluno bem como todo o seu processo de adaptação ao ensino superior devem levar em conta diversas variáveis que podem impactar o ajustamento acadêmico. Uma compreensão apropriada dessa fase estudantil exige que se atente para as características individuais e de personalidade do estudante, para a relação professor aluno, para o contexto e histórico institucional.
Essa multiplicidade de variáveis merece ser considerada quando, por exemplo, torna-se necessário diagnosticar e intervir nos fatores de insucesso escolar. Como é possível perceber, assumir o compromisso com a formação integral do estudante significa olhar para além do processo ensino-aprendizagem, reconhecendo que este jovem passa por momentos de vulnerabilidade ao longo de sua formação, e as IES devem estar preparadas para apoia-lo e acolhe-lo em tais situações.
No geral os estudantes ingressantes trazem inicialmente expectativas positivas em relação a sua futura experiência acadêmica. No entanto podem ocorrer contradições entre esses sentimentos iniciais e o quê a universidade efetivamente oferece.
A entrada na Uni ada na Universidade: sidade: peculia- peculiaridades de um período de transição Um dos períodos de maior vulnerabilidade identificados pela literatura é o ingresso na Universidade, comumente marcado por conflitos decorrentes da adaptação ao meio universitário e da aproximação à profissão escolhida.
O ingresso na Universidade é um período bastante peculiar do curso de vida. Marca uma transição importante do final da adolescência para o início da vida adulta e desafia o estudante a assumir novas posturas, descobrir novas formas de estudar, aprender, conviver e participar.
Coincide, também, com o momento da escolha profissional, que representa para muitos jovens um período de conflito não apenas pela escolha e identificação com uma profissão, como também pelos desafios a serem enfrentados nesse novo contexto.
Para que esse período de adaptação seja um processo tranquilo é necessário que o jovem tenha passado por fases anteriores de desenvolvimento de forma estável e resolutiva. Por isso, a entrada na Universidade para um adulto jovem não deve ser analisada a partir de fatores isolados, mas considerando um conjunto de situações produzidas por influências institucionais, sociais, econômicas e históricas Monografias Prontas.
Além disso, em se tratando de cursos de área da saúde em uma instituição pública, é importante considerar que a sociedade volta-se para esse sujeito com expectativas sobre seu comportamento e êxito acadêmico, bem como sobre o retorno de todo o investimento feito em sua educação.
No contexto da educação universitária “aprender” ganha um novo significado, e coloca sobre o estudante enorme responsabilidade, pois, de fato, ele escolheu uma carreira e ao deixar a Universidade será um profissional, com compromissos e responsabilidades assumidos frente à sociedade Nesse sentido a experiência do processo ensino- aprendizagem é muito diversa daquela vivida anteriormente no ensino médio, onde o estudante tinha que “dar conta” de conteúdos que nem sempre lhe interessavam. Na Universidade tudo que se propõe ao aluno, desde o primeiro dia de aula, é importante para a aquisição de habilidades e competências necessárias ao futuro profissional.
O estudante vê-se então diante de um novo cenário e com novas demandas a enfrentar, e a responsabilidade com sua formação aumenta de forma considerável. Espera- se envolvimento, iniciativa, responsabilidade e autonomia. Espera-se que ele se organize para apreender o que lhe será apresentado ao longo da graduação, nunca perdendo de vista que depois de formado deverá estar apto a exercer a profissão de forma ética, crítica, consciente competente. O início da vida universitária é marcado por uma convergência de situações que são apresentadas ao estudante, que é chamado a adaptar-se a esse novo meio social. Essa adaptação pode ser difícil ao “calouro”: uma nova “escola”, novos colegas, novas responsabilidades, muitas vezes numa outra cidade e distante de sua família.
Olhando para todos os eventos que se juntam nesse momento do ingresso na educação universitária, é necessário considerar que a maioria dos calouros está na faixa- etária dos 17 aos 20 anos, ou seja, no final da adolescência, enfrentando a transição final para o ingresso na vida adulta. Assim, serão apresentadas a seguir algumas possibilidades que a Psicologia do Desenvolvimento oferece para a compreensão da adaptação e do enfrentamento de desafios ao longo do curso da vida.